Menino Gabriel proibido em Mossoró de vender água para ajudar a família sensibiliza a web, tem ajuda de vaquinha virtual e conquista legião de seguidores no Instagram

  Foto: Reprodução/Instagram

Conhecido pelo país como o “pequeno vendedor”, o menino Franklin Gabriel, de 11 anos, comoveu a web após ser proibido pelo Conselho Tutelar de Mossoró de vender água e outros produtos, cujo objetivo era ajudar a família, que passava por dificuldades nesse período de pandemia.

Veja mais: Mãe é ouvida no Conselho Tutelar após

 denúncia

A história do menino ganhou repercussão em meados de setembro, sensibilizou a região e, inclusive, empresários locais, que presentearam a criança com celular e até uma bicicleta para que pudesse ajudar na locomoção em suas vendas. Contudo, o início do drama surgiu após uma denúncia. A partir de então, o sacrifício do garoto por sua família foi paralisado com a intervenção do Conselho Tutelar local. Por consequência,  o desespero do menor, que chorou contando o fato, e nem por isso, deixou de criticar o órgão. “Se vocês querem que eu vá para o lado errado, mas eu não vou dar esse gosto a ninguém, não”, desabafou em um dos vídeos que circulam nas redes sociais.

Atualmente, além das doações, o garoto Franklin Gabriel tem ajuda de uma vaquinha virtual criada pelos seguidores para ajudar a sua família e para que ele não precise mais trabalhar nas ruas. Neste momento, acumula mais de R$ 68 mil reais, na meta de R$ 70 mil. No instagram, o menino tem mais de 300 mil seguidores, inclusive, a primeira-dama, Michele Bolsonaro.

MAIS INFORMAÇÕES EM CONTATO NO 

INSTAGRAM: https://www.instagram.com/gabrielpe

quenovendedor/

Comentários